O Relacionamento entre a AMI, o Missionário e a Igreja

Como a AMI é apenas uma agência missionária, o missionário está diretamente submisso à sua Igreja local, em todas as áreas da vida vocacional, moral, psicológica e espiritual.

O papel da missão é auxiliar a igreja no que for necessário. O campo de trabalho sempre é definido entre o missionário e sua Igreja. A Missão apenas sugere mudanças ou transferências do campo missionário em casos especiais ou de necessidade extrema.

Para ser aceito pela AMI são necessários os seguintes requisitos:

- Ser membro de uma Igreja Batista Fundamentalista (Bíblica, Independente, Regular).
- Ter concluído um Curso Bíblico de no mínimo três anos, sendo o conteúdo avaliado pela Diretoria da AMI.
- Acatar as orientações da Diretoria da AMI quanto ao seu preparo teológico e transcultural necessário para o desenvolvimento do seu projeto.
- Ser indicado por carta de apresentação, assinada pelo pastor da Igreja da qual é membro.
- Fornecer cópia da Ata ou documento equivalente que conste a sua Ordenação Pastoral. (Observação: Há ministérios que não exige a ordenação pastoral).
- Fornecer documento escrito com a decisão da igreja em apoiá-lo no campo missionário.
- Fornecer cópia de todos os seus documentos pessoais.
- Ser avaliado, através de entrevista, quanto às suas condições espirituais, morais, intelectuais e físicas, com vistas ao tipo de trabalho que o espera.
- Casos especiais serão apreciados e definidos pela Diretoria da AMI.

O Missionário receberá do Coordenador de Missões toda orientação necessáriaquanto à elaboração e montagem de seu projeto, comprometendo-se a cumprir todos os requisitos ali definidos.


Finanças

Cada Missionário é responsável pelo levantamento do seu próprio sustento, orientado pela AMI através do Diretor de Missões que apresentará por carta o novo missionário às igrejas que já apoiam outros projeto da AMI e orientado também pela sua Igreja, observando-se os seguintes princípios:
- Visitar e apresentar o seu projeto junto às igrejas batista fundamentalistas, por carta e através de visitas agendadas mantendo a dignidade e a ética
- Não incentivar sustento proveniente de membros individuais de igrejas.
- Dispor-se a viver pela fé, na dependência de Deus para o seu sustento e não em pessoas, igrejas ou organizações.
- Manter uma atitude positiva quanto ao envolvimento pessoal na obra missionária, na apresentação e propaganda de seu projeto, zelando pela integridade pessoal, da Missão e tanto quanto pela sua Igreja enviadora.
- Definir em seu projeto o alvo financeiro mensal a ser atingido, levando-se em conta as necessidades familiares, o desenvolvimento da obra e as condições da região na qual irá trabalhar.

Somente após ter atingido este alvo é que o missionário estará autorizado a iniciar o trabalho de implantação da nova igreja.

As despesas operacionais da AMI são supridas por ofertas voluntárias de igrejas e pelos missionários que autorizam um desconto de 5% (cinco por cento) de suas ofertas recebidas através da AMI para despesas operacionais.

Os bens patrimoniais adquiridos ou havidos para o projeto missionário deverão ser registrados em nome da igreja que o enviou (Igreja mãe) ou de outra organização indicada por esta igreja até que a igreja que está sendo fundada tenha seu próprio CNPJ. Nunca o missionário deverá colocar em seu próprio nome bens que pertença à igreja.

O INSS do missionário poderá ser deduzido de seu sustento e recolhido pela AMI caso o missionário assim autorize. Mas ele poderá fazê-lo por si mesmo, caso lhe seja conveniente.

Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;

Mateus 28:19